quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

[Revista Época] Os 10 livros brasileiros mais marcantes dos anos 00

Ranking elaborado pela Revista Época, no qual a revista elege os livros mais mercantes da década que chega ao fim. Confira abaixo a lista:

1. Budapeste, 2003
Depois de uma trajetória como ídolo na música popular, Chico Buarque se destacou na ficção. Seu principal romance narra as desventuras do ghost-writer José Costa, dividido entre duas mulheres e duas cidades: uma húngara e uma carioca, Budapeste e Rio de Janeiro.


2. As ilusões armadas (quatro volumes), 2002-2004
O experiente jornalista Elio Gaspari mergulha nos arquivos da ditadura militar brasileira (1964-1985) para produzir um painel monumental do período.


3. Nove noites, 2002
Um dos autores de maior relevância na década, o carioca Bernardo Carvalho conjugou ficção com texto jornalístico em seu sexto romance. Trata-se de uma investigação sobre a morte do antropólogo americano Buell Quain, que, sem motivo aparente, enforcou-se na floresta diante de dois índios.


4. Dois irmãos, 2000
O amazonense Milton Hatoum ganhou status de mestre da ficção em língua portuguesa com este romance. A narrativa aborda uma saga familiar contada por um menino, filho de uma empregada.

5. Onze minutos, 2003
O romance narra a busca pelo autoconhecimento de Maria, personagem real que sai do interior do Brasil para acabar se tornando prostituta na Suíça. É o livro de maior sucesso de Paulo Coelho. Foi traduzido para 40 idiomas.


6. 1808, 2008
O jornalista paranaense Laurentino Gomes escreveu uma história saborosa sobre a chegada da família real portuguesa ao Brasil, em 1808. Foi vendido meio milhão de exemplares em 2008. Um êxito para um livro de história.

7. O filho eterno, 2007
O relato poderoso em primeira pessoa do catarinense Cristóvão Tezza sobre a convivência com seu filho primogênito que sofre de síndrome de Down.


8. Não somos racistas, 2006
Com este ensaio o jornalista e sociólogo carioca Ali Kamel lança um ataque contundente ao sistema de cotas raciais criado pelo governo brasileiro. Para ele, em vez de prover a igualdade, geram o ódio racial.

9. Pico na veia, 2002
O escritor Dalton Trevisan atingiu com este livro o ápice da concisão. São 205 contos em 242 páginas. O último se resume a um enigmático travessão: “-”. O leitor que o decifre.

10. O doce veneno do escorpião, 2005
O livro resultou do blog de Bruna Surfistinha, uma adolescente de classe média paulistana que se prostitui. Vendeu 250 mil exemplares no ano de lançamento e vai virar filme em 2010.

Sem comentários:

Enviar um comentário